terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

13 maneiras de reutilizar sua sacolinha



1. Na jardinagem, no fundo do vaso





Evita que a água escorra, na hora de regar a planta; e reduz a quantidade de terra necessária para encher um vaso grande, quando a planta é de pequeno porte. Além disso, deixa o transporte dos vasos muito mais fácil de ser feito, já que reduz seu peso.


2. Embrulho de presentes criativos






Coloque o presente dentro de três sacolinhas coloridas, com pouca escrita ou lisas, de preferência. Depois é só dar um nó na parte de cima de cortar as alças, formando um “pom-pom”.


3. Como sinalização em estradas






Mantenha um saco plástico chamativo dentro do porta-luvas e o coloque na lanterna do carro ou na janela para sinalizar, caso precise de ajuda.


4. Use como calcadeira






Vai experimentar sapatos de segunda mão em algum bazar? Leve uma sacola plástica e a utiliza como calçadeira, para evitar entrar em contato com um sapato que você não tem certeza que está limpo.


5. Faça paraquedas!






Para entreter as crianças, crie paraquedas caseiros para os bonecos (especialmente os soldadinhos) com sacolas plásticas. Tudo que você vai precisar é de um pouco de linha, um clipe e, claro, copiar o modelo acima.


6. Abrir massas






Sacolas de plástico devidamente limpas podem ajudar a abrir massas para tortas, por exemplo, sem qualquer esforço.


7. Proteger o gesso






Use sacolas plásticas para fazer uma espécie de luva e proteger o gesso da água, na hora do banho, por exemplo.


8. Proteger as plantas






Está em um lugar muito, muito, muito frio? Fora do Brasil, melhor dizendo… Então use sacolas plásticas para proteger as plantas da geada.


9. Lacrar latas de tinta






E evitar que acidentes nada agradáveis aconteçam com a tinta que já foi aberta…



10. Como proteção de objetos frágeis







Muito úteis na hora da mudança! Aliás, sacolas plásticas podem ser usadas, nessas ocasiões, para substituir o isopor na proteção de objetos frágeis.


11. Armazenar pincéis





Se não deu tempo de limpar o pincel, o coloque em uma sacola plástica e pronto.

12. Como luvas




Vai fazer alguma tarefa nojenta, como limpar o ralo da pia? Então envolva sacolas plásticas nas mãos, como luvas, e evite de tocar na sujeira.


13. Como joelheiras



Para não sujar ou machucar os joelhos na hora da jardinagem.




Fonte: Fatos Desconhecidos e Diply

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Posicionamento Plastivida sobre o decreto referente às sacolas plásticas no município de São Paulo










Nesta quarta-feira (7), o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad convocou a imprensa para esclarecer, através do Decreto 55.827/15, a questão das sacolas plásticas no município.

Uma importante premissa do Decreto é que as sacolas plásticas, que agora são classificadas como “reutilizáveis”, deverão atender as especificações a serem definidas pela Autoridade Municipal de Limpeza Urbana – AMLURB.

A Plastivida tem dialogado com a AMLURB que já sinaliza no sentido de que tais sacolas devem obedecer a uma padronização que conta com cores e/ou dimensões diferentes das sacolas atuais. Essa padronização, segundo proposta discutida anteriormente, deve prioritariamente obedecer a coloração diferenciada, sendo as sacolas verdes para reutilização no descarte de resíduos recicláveis, sacolas cinza para reutilização no descarte de resíduos não recicláveis e, futuramente, sacolas marrons para o lixo biodegradável. Essa diferenciação facilitará as ações de educação ambiental, coleta seletiva e conscientização da população para reutilização das sacolas como instrumento a impulsionar a coleta seletiva e a reciclagem na cidade de São Paulo.

A Plastivida continuará o diálogo com a AMLURB e Secretarias Municipais envolvidas no tema, no sentido de contribuir com informações relevantes e fundamentais a esse processo, como a adoção de Normas Técnicas para melhorar a qualidade e resistência dessas sacolas, passo fundamental para o sucesso dessa proposta.

Entretanto, a Plastivida também defende a preservação dos interesses dos consumidores que não devem ser penalizados financeiramente pela adoção desses tipos de sacolas.

Com atuação voltada à educação ambiental e conscientização da sociedade sobre a importância dos plásticos no desenvolvimento social, a Plastivida acredita que ações de promoção ao uso consciente, reutilização dos produtos, redução do desperdício e destinação adequada dos resíduos é a única maneira perene da sociedade contar com benefícios sociais e econômicos e, ainda, preservar o meio ambiente.

Miguel Bahiense
Presidente

Plastivida

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Prefeitura de SP faz acordo para usar sacolinha como embalagem de lixo

A Prefeitura de São Paulo, a indústria plástica e o setor supermercadista fecharam um acordo para padronizar as embalagens que serão distribuídas nos supermercados da capital paulista. Indústria e supermercadistas terão 60 dias para apresentar um modelo de sacolinha que deve ter cor, dimensão e resistência adequadas para aguentar o peso das compras e também de resíduos secos.
De acordo com o prefeito, Fernando Haddad (PT), essa embalagem deverá ser usada pelo consumidor para a coleta seletiva nas centrais mecanizadas de triagem, que foram inauguradas neste semestre. Hoje, a cidade tem duas centrais, as primeiras da América Latina, para fazer a separação do lixo com capacidade para separar cerca de 18% do lixo seco. A partir de 2016 haverá mais duas com capacidade para 25%.
"A partir daí começa a substituição das atuais [sacolas] pelas novas", diz o prefeito. Segundo ele, as sacolinhas terão instruções sobre o que pode ser colocado dentro delas, como vidro, plástico, papel e metal.

Supermercado na zona oeste de São Paulo; prefeitura discute com representantes do setor decreto que irá regulamentar sacolinhas
Supermercado na zona oeste em Sp; setor e indústria terão que padronizar sacolas

Nessas sacolas padronizadas, o consumidor não vai poder colocar o lixo orgânico, tendo que comprar outra embalagem para isso.
O prefeito diz contar com a população para que o programa dê certo e diz que cidades da Europa já têm esse procedimento.
De acordo com Haddad, a instrução dos consumidores vai ser feita com a ajuda dos supermercadistas, que explicarão o novo processo. Haverá também cartilhas educativas.
ENTENDA O CASO
No início de outubro, o Tribunal de Justiça de São Paulo definiu que é legal a lei de 2011 que proibia as sacolinhas plásticas nos supermercados da capital paulista. O acórdão ainda não foi publicado no "Diário Oficial" do município, o que é necessário para discutir a regulamentação da lei.
O Sindiplast (Sindicato da Indústria do Material Plástico do Estado de São Paulo) entrou com uma ação em 2011, quando a lei municipal nº 15.374 foi criada, e conseguiu uma liminar que permitia o uso das sacolinhas na cidade.
Com a decisão de outubro, essa liminar ficou suspensa e a ação se tornou improcedente.
A assessoria de imprensa do TJ afirma que, como o acórdão ainda não foi publicado, não é possível definir o prazo em que a decisão judicial entrará em vigor.
O Tribunal informou logo depois à Prefeitura de São Paulo que ela decidirá quando a proibição deve começar para valer nos supermercados da cidade. Até semana passada, a Prefeitura não sabia informar sobre o prazo em que deve começar a fiscalizar a proibição de sacolinhas.
Na segunda-feira (10), o Sindiplast entrou com recurso contra a decisão do órgão especial do TJ.
De acordo com o advogado que representa o sindicato, Jorge Luiz Kaimoti Pinto, o recurso foi protocolado na sexta-feira (7) em Bauru (SP) e deveria ser processado pelo TJ na quarta-feira. "A expectativa é que o julgamento ocorra daqui a duas ou três semanas, já que o Pleno do TJ só se reúne às quartas-feiras", explica o advogado.
Ele comentou que caso não ocorra nas próximas semanas, ficará para o ano que vem, já que depois disso começa o recesso forense.
Enquanto não há julgamento do recurso, os supermercados seguem distribuindo as sacolinhas normalmente.
OUTRAS CIDADES
Em 20 cidades do Estado de São Paulo, o uso das sacolinhas plásticas está garantido nos supermercados, com o encerramento dos processos que discutiam a sua proibição nessas localidades.
Na capital e em mais 22 municípios, ações diretas de inconstitucionalidade movidas pelo Sindiplast ou pela Apas (associação dos supermercados) discutem a questão.
Com o acordo firmado entre a prefeitura, indústria e supermercadistas, agora a questão fica resolvida também na capital.
O levantamento foi feito, a pedido da Folha, pelo escritório Kaimoti Pinto, Calsolari & Telles Advogados Associados, que cuida das ações do sindicato.
Estão garantidas as sacolinhas aos consumidores de: Guarujá, Sorocaba, Caçapava, Osasco, São Vicente, Indaiatuba, Mogi Mirim, São José do Rio Preto, São Roque, Hortolândia, Itapetininga, Caieiras, Franca, Mirassol, Itapeva, Bebedouro, Presidente Prudente, Barretos, Agudos e Votuporanga. 

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Hoje é dia do supermercado.

Hoje é dia do supermercado.
Não se deixe levar por informações erradas. NÃO HÁ PROIBIÇÃO DE SACOLAS PLÁSTICAS EM SÃO PAULO. O direito do consumidor a receber as sacolas plásticas nos supermercados de São Paulo continua garantido.
Vamos usá-las com consciência e descartá-las adequadamente?