segunda-feira, 7 de abril de 2014

Dia Mundial da Saúde


Hoje, 07 de abril, é o dia mundial da saúde, por isso o Recicle Ideias não poderia deixar de lembrar a todos da importância do plástico para este setor. Já imaginou como seria a medicina sem a presença dele? Estima-se que 45% dos materiais utilizados na área da saúde têm esse produto como base.

Além de seringas e luvas, o plástico também é usado no corpo humano devido à compatibilidade deste com os tecidos do corpo. Trata-se de um material com estabilidade química, física e bioquímica, o que o torna extremamente útil. Ele está presente em válvulas cardíacas, substituição de articulações desgastadas ou lesionadas, e principalmente, na hemodiálise, processo de limpeza do sangue em pacientes com perda da função renal.

Com propriedades que evitam o desenvolvimento de fungos, e bactérias, e, ao mesmo tempo, firme, de fácil limpeza e descarte, o plástico forma, sem dúvida, um par perfeito com a saúde.

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Sobre o artigo “Proibido o uso de sacolas plásticas”


Esse artigo publicado pelo Diário do Pará no último dia 29 de março descreve alguns problemas do serviço gestão de água e esgoto no Brasil - sistemas que precisam de investimentos e melhorias. Entretanto, quando cita que a proibição de materiais não degradáveis é a “única maneira para acabar com alagamentos”, o texto se enfraquece a um nível até infantilizado.

As questões ambientais no país são complexas e envolvem o Poder Público, o Poder Privado e a sociedade como um todo. São práticas e fatos a serem considerados em diversos níveis, portanto é preciso sair do senso comum para discutir sustentabilidade.

Muitas vezes a mídia mostra um único lado de um problema multifacetado, e provoca opiniões simplórias e sem fins práticos ou discussões. Essas informações sem embasamento se reproduzem e geram um mal entendido que acabam por desenformar a população.

A ideia de que proibir a utilização de sacolas plásticas e outros plásticos é a solução, seria somente encobrir o problema e ignorar que é responsabilidade do governo promover coleta seletiva e destino adequado para os resíduos; do cidadão entender sobre os produtos que consome, separar o lixo reciclável e não jogar lixo na rua; e das empresas fabricar produtos reutilizáveis e recicláveis, como o próprio plástico.

segunda-feira, 24 de março de 2014

Você lembra o que é o Programa de Qualidade e Consumo Responsável?!


É um programa desenvolvido pelo Instituto Sócio-Ambiental dos Plásticos (Plastivida), pela Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Flexíveis (ABIEF) e pelo Instituto Nacional do Plástico (INP). O objetivo é promover boas práticas de uso e descarte correto das famosas sacolinhas plásticas. O programa baseia-se na responsabilidade compartilhada, ou seja, pretende promover uma colaboração mútua envolvendo toda a cadeia produtiva da sacola plástica.

Liderada pela indústria, esta aliança deve incluir desde os fornecedores de matérias-primas e de sacolas plásticas, passando pelos supermercados, até a população e o poder público. Quando esses atores fazem a sua parte, a população tem como resultado sacolas plásticas de qualidade que podem e devem ser utilizadas e reutilizadas, além da reciclagem.

Ao fim de sua vida útil, as sacolinhas devem ser descartadas corretamente pelo consumidor – ou para reciclagem ou para embalar o lixo caseiro. É nessa hora que o poder público participa do processo, por meio da disponibilização de serviço de coleta seletiva de lixo.

Hoje, menos de 500 municípios oferecem essa possibilidade ao cidadão, mas a Política Nacional de Resíduos Sólidos obrigará todas as cidades brasileiras a criarem seus programas de coleta seletiva, já a partir de 2014.

Fonte: Insight Case Studies – Revista Brasileira de Management (FGV)

sexta-feira, 21 de março de 2014

Quais são os produtos mais sustentáveis?


Geralmente quando buscamos a melhor alternativa de consumo sustentável, esquecemos de observar o ciclo do produto como um todo. Nem sempre o que tem fama de favorável ao meio ambiente é a solução, como explica a estrategista ambiental Leyla Acaroglu em palestra nos Estados Unidos.

Ela afirma que o planejamento dos produtos - desde o design, passando pela funcionalidade até o descarte – muitas vezes deve ser considerado mais do que o material deste. A estrategista diz ainda que as decisões, atitudes e senso crítico dos consumidores também são pontos de extrema importância dentro do sistema tão complexo de fabricação e consumo no qual vivemos hoje.

Leyla discursa sobre alguns produtos e faz comparativos interessantes sobre como são fabricados, os modos de utilização e possibilidades de reuso.

A palestrante aponta argumentos fortes a favor das sacolas plásticas frente a outros produtos quando reutilizada e descartada de forma correta.

terça-feira, 18 de março de 2014

Cuidados nos dias de chuva


Mês de março é época de chuvas, por isso os cuidados com o lixo precisam ser redobrados. O Recicle vai te dar algumas dicas de como contribuir com a limpeza da cidade e evitar enchentes.

- Nunca jogue lixo nas ruas, ou em terrenos baldios. 

- Leve sempre consigo uma sacolinha plástica para guardar os resíduos que acumular durante o dia e separe-os para reciclagem ou descarte-os na lata de lixo.

- Guarde sempre algumas sacolinha na bolsa ou na mochila para colocar o guarda-chuva molhado ou qualquer outro objeto que tenha tomado chuva.  

- É importante deixar os resíduos bem protegidos dentro de sacolas ou sacos plásticos antes de colocá-los na calçada para a coleta, pois gatos e cachorros de rua podem tentar mexer no lixo e espalhá-lo por toda a rua. Além disso, informe-se sobre o horário de coleta, assim o lixo não fica parado por muito tempo. 

- Sacolinhas sempre podem ser reaproveitadas como pequenas “capas” de chuva, utilize-as para proteger os sapatos ou a cabeça.

E o mais importante: não jogue sacolas plásticas nas ruas, elas são impermeáveis e por isso muito úteis em dias molhados! 

quarta-feira, 12 de março de 2014

Moradores de Icaraí (CE) se reúnem para recolher lixo da praia

Fonte: http://goo.gl/Hb5CvS
Como o blog Sacolinhas Plásticas denunciou recentemente, o Carnaval passou e deixou muito lixo espalhado por ai. Por isso, os moradores da praia de Icaraí, em Caucaia, Fortaleza, estão fazendo um mutirão para recolher os resíduos na areia. Como um ótimo exemplo de trabalho em equipe e consciência ambiental, crianças, surfistas, comerciantes e frequentadores da praia se reuniram com sacolinhas em mãos para limpar a paisagem.

A maior parte do lixo é composta por garrafas e embalagens de plástico. Isso ocorre porque o plástico é um produto leve, maleável e de extrema utilidade para população, por isso tão amplamente utilizado, e infelizmente, despejado em lugares públicos. Entretanto, trata-se de um material 100% reciclável, basta ser coletado de maneira adequada. Todas as sacolinhas e garrafas PET que fazem parte do lixo de Icaraí chegaram até lá por meio de uma ação humana. Ou seja, foi alguém que, ao invés de destinar para coleta seletiva ou reutilizar o plástico, simplesmente o descartou em lugares inapropriados.

A sacolinha plástica, agora usada para guardar os resíduos removidos da praia, deveria também ter sido usada por quem jogou o lixo na área. Sacolinhas são mais um instrumento de limpeza e não devem nunca fazer parte da sujeira, lembre-se disso!

Fonte: O Povo - Jornal de Hoje

terça-feira, 11 de março de 2014

Sacola de supermecado e saco de lixo - há diferença?


O site Setor Reciclagem explicou aos leitores a diferença entre sacos de lixo e sacolinhas plásticas. E o Recicle Ideias assina embaixo. Confira:

Quase a totalidade da população usa sacolinhas de supermercado para descartar seus resíduos. A opção direta é usar sacos de lixo para fazer o mesmo. Mas não há uma diferença significativa entre eles.

Normalmente, sacos e sacolas são feitas de Polietileno de baixa densidade - PEBD ou Polietileno de alta densidade - PEAD, enquanto os sacos de lixo são feitos de PEBD, mas ambos são Polietileno, o polímero mais simples, quimicamente falando. É o tipo de plástico mais comum e barato.

Apesar de ambos serem de Polietileno, as sacolas de supermercado tem uma vantagem: seu ciclo de vida é mais longo. A missão do saco de lixo é: você compra, coloca o lixo e o descarta.

Já a sacola tem seu primeiro uso como embalagem. E poderia ser usada dessa forma mais algumas vezes. Só então se transforma em saco de lixo, encerrando seu ciclo de vida. Se for usada para embalar recicláveis, então ainda poderá ser reciclada, retornando ao ciclo produtivo como um novo produto de plástico reciclado.

A questão das sacolas não é então um problema de química, mas de educação.
- Reduza o uso de embalagens;
- Reutilize-as sempre que possível;
- Recicle, separando corretamente seus resíduos para a coleta seletiva.